Faça o teste caseiro para saber se você está dormindo menos do que precisa – Terra

Falta de sono pode atrapalhar tarefas diárias no trabalho

Dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) mostram, por exemplo, que um em cada três adultos americanos não dorme o suficiente.

Um na revista Science Advances mostrou ainda que os brasileiros estão entre aqueles com as noites mais curtas de sono do mundo: dormimos uma média de 7h36m por noite – mais horas apenas do que japoneses e cingapurianos.

O especialista em sono Nathaniel Kleitman, da Universidade de Chicago (EUA), criou um teste simples que qualquer um pode tentar em casa para saber se tem déficit de sono.

Kleitman apresentou a técnica no documentário The Truth About Sleep (A verdade sobre o sono, em tradução livre), apresentado pelo médico britânico Michael Mosley, do programa da BBC Trust me, I’m a doctor .

O médico Michael Mosley apresenta programa de BBC focado no sono
O médico Michael Mosley apresenta programa de BBC focado no sono

Foto: BBC / BBCBrasil.com

Como fazer o teste

O teste ajuda a medir a duração do período de latência – o intervalo entre estar acordado e cair no sono. Ele deve ser feito nas primeiras horas da tarde, com a ajuda de uma colher e uma bandeja de metal.

Você deve se deitar num quarto silencioso e escuro e segurar uma colher na mão na beira da cama. Logo abaixo, no chão, deve colocar uma bandeja de metal.

Então, marque o horário antes de fechar os olhos. Ao dormir, a colher deve cair e bater na bandeja, provocando um ruído que irá despertá-lo.

Quando isso acontecer, você deve voltar a olhar para o relógio e ver quanto tempo se passou.

  • Se você dormir antes de cinco minutos depois de fechar os olhos, isso quer dizer que você tem um sério déficit de sono.
  • Se ocorrer em dez minutos, é um sinal de “certa falta de sono”.
  • Se ficar acordado por ao menos 15 minutos, significa estar dormindo o suficiente.

Uma versão mais simples do teste seria programar um alarme de 15 minutos e notar se você dorme nesse período.

A importância de dormir bem

O sono afeta nossa memória e como lidamos como nossas emoções.

Durante a etapa de sono profundo, o cérebro se ocupa de transformar a memória de curto prazo em lembranças de longo prazo, explica Mosley. Assim, cria-se mais espaço para a memória de curto prazo do dia seguinte.

E a fase do sono REM (sigla em inglês para a expressão “movimento rápido dos olhos”), explica o médico, é o único momento em que eliminamos do cérebro uma substância relacionada com o estresse, a noradrenalina.

Isso nos permite manter a calma enquanto nosso cérebro processa as atividades do dia, ajudando-nos a assimilar as experiências emocionais que vivemos.

Se não conseguir ter horas suficientes de sono REM, seu cérebro não terá tempo suficiente para processar as emoções, diz Mosley, o que explicaria por que nos sentimos estressados e ansiosos quando temos falta de sono.

A falta de sono, além disso, tem um efeito devastador sobre o controle de açúcar no sangue.

Há estudos que mostram que os adultos que dormem em média menos de sete horas por dia duplicam o risco de desenvolver diabetes tipo 2, enquanto o risco é cinco vezes maior para quem dorme menos de cinco horas.

Fonte: Faça o teste caseiro para saber se você está dormindo menos do que precisa

Anúncios

Pesquisa descobre funcionamento do cérebro durante os sonhos – Ciência – iG

Durante os sonhos,  são ativadas as mesmas regiões do cérebro de quando estamos acordados

Durante os sonhos, são ativadas as mesmas regiões do cérebro de quando estamos acordados

Por muitos anos, cientistas acreditaram que existem regiões do cérebro ativadas especificamente ao sonhar. Mas, uma nova pesquisa, que terá grandes desdobramentos para entender o propósito do sonho e da consciência humana, mostra que não é bem assim. Na verdade, as mudanças na atividade cerebral durante o sono revelam sobre o que se está sonhando.

Costumava-se pensar que os sonhos aconteciam principalmente durante o sono REM (“Rapid Eye Movement”, ou movimento rápido dos olhos, em tradução literal), um período de repouso como atividade cerebral semelhante a quando estamos acordados, mas que também foram relatados sonhos fora do sono REM, confundindo os cientistas.

“Parecia ser um mistério poder sonhar, ou não, nessas duas etapas diferentes do sono”, disse a coautora do estudo, Francesca Siclari, pesquisadora da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos.

Leia também: “Parece com vinho”: cientistas descobrem genes que determinam sabor da maconha

Agora parece que o mistério foi resolvido. A equipe de pesquisa descobriu que sonhar com rostos tem ligação com o aumento de atividade de alta-frequência na região do cérebro responsável por reconhecimento facial, enquanto sonhar com percepção espacial, movimento e pensamento ativa as regiões do cérebro que realizam essas tarefas quando estamos acordados.

“[Isso é] uma prova de que sonhar é algo que acontece durante o sono, porque muitos pesquisadores sugeriam que era algo que se inventava ao acordar”, disse Siclari ao “ The Guardian”. “Talvez, o cérebro sonhando e o cérebro acordado sejam muito mais semelhantes do que imaginávamos, porque recrutam as mesmas áreas para as mesmas experiências”.

Leia também: Sexo, drogas e rock’n roll estimulam a mesma área do cérebro, mostra estudo

Especialistas aclamaram a importância da pesquisa, dizendo que pode ajudar a responder o enigma de para quê servem os sonhos e, até mesmo, a natureza da consciência humana. “A importância além desse artigo é surpreendente”, afirmou o diretor do laboratório do sono da Universidade de Swansea, Mark Blagrove, que não participou da pesquisa. “É comparável à descoberta do sono REM e em alguns aspectos é ainda mais importante”.

Através de suas descobertas, os pesquisadores perceberam que é possível prever se uma pessoa estava sonhando enquanto dormia. Em experimento com sete participantes, os pesquisadores acertaram 87% das vezes se uma pessoa teve sonhos ou não.

Fonte: Último Segundo – iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2017-04-13/sonhos.html

Fonte: Último Segundo – iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2017-04-13/sonhos.html

Fonte: Pesquisa descobre funcionamento do cérebro durante os sonhos – Ciência – iG

Entenda os distúrbios do sono – Bem estar

Bem Estar desta segunda-feira (27) falou sobre os distúrbios do sono. Você sabia que os pesadelos podem prejudicar a sua saúde? E na sua casa tem alguém sonâmbulo? Será que pode acordar? Falamos também sobre a paralisia do sono. Participaram do programa a nossa consultora e pediatra Ana Escobar e a neurologista Dalva Poyares.

 

CURTA O BEM ESTAR
Siga o programa nas redes sociais

Por que nós sonhamos? Segundo a doutora Ana, todo mundo deve sonhar. “Se o indivíduo passa muito tempo sem sonhar, alguma coisa tem de errado”. O sonho é a organização da vida psíquica. É durante os sonhos que arquivamos as experiências vividas durante o dia.

O sono é dividido em quatro fases: o sono superficial, o sono intermediário, o sono profundo e o sono REM (depois que adormecemos, demora-se de 70 a 120 minutos para entrar nesta fase).

Sonambulismo
Imagina você levantar de madrugada, andar pela casa, mas tudo de olho fechado, dormindo? O sonambulismo acontece na fase três do sono, a das ondas lentas, quando estamos em um estado intermediário entre o sono e a vigília. É quando a frequência cardíaca está lenta. Na crise, o indivíduo fica confuso e faz algumas coisas comuns da rotina.

Quem convive com o sonâmbulo deve tomar alguns cuidados, como deixar portas e janelas sempre trancadas, tirar móveis do caminho, evitar objetos que possam quebrar. Também não se deve tentar acordar a pessoa em crise, pois ela não está consciente e pode ter reações violentas. O tratamento é sempre voltado ao que provoca a crise, como sono e estresse. Casos mais graves são tratados com medicamentos.

Paralisia do sono
Outro distúrbio do sono é a paralisia. Você abre os olhos, sente que acordou, mas não consegue se mexer. Isso pode durar segundos, ou minutos. E pelo menos dois fatores podem contribuir para isso: o estresse e a privação do sono. Na crise, a pessoa sente muita falta de ar e a sensação de angústia.

Pesadelo e terror noturno
O pesadelo é um sonho com conteúdo intenso e assustador, de maneira geral. Ele vem sempre acompanhado de taquicardia, sensação de medo e susto. No momento do pesadelo, o corpo libera uma descarga de adrenalina como consequência dos estímulos que estamos recebendo. Por isso, o pesadelo não deve ser considerado normal. Deve-se procurar tratamento quando for recorrente e fizer mal à saúde, causando problemas como cansaço, sonolência durante o dia e dificuldade para dormir.

Podemos evitar algumas situações para tentar ter um sono tranquilo. As principais são a ansiedade, angústia e estresse.

Precisamos prestar atenção no sono das crianças também. Elas podem estar tendo um terror noturno. Entre as características estão: medo de ir para cama, gritar enquanto dorme, crise de choro, queda da imunidade.

Como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto – Comofas

Como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto

Quando o assunto é a beleza, fale fazer de tudo que prometa ajudar a mantê-la ou pelo menos não prejudicar todas as outras ações neste sentido. Que o sono é importantíssimo para garantir que continuemos bem na foto, ninguém duvida. Mas, o que muita gente não leva em conta é que a maneira como dormimos pode também nos prejudicar, causando um efeito contrário ao do esperado. Por isso, vamos explicar para você como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto.

As marcas do tempo na pele, principalmente as rugas, são as principais vilãs de quem pretende manter a aparência jovem. Não importa a idade, pois estas marcas dão um aspecto de cansaço e um ar de envelhecimento ainda maior do que o normal. Por isso, saber como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto é fundamental para corrigir os nossos erros enquanto há tempo e evitar estes problemas que afetam nossa beleza.

Como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto

Normalmente, as marcas de expressão são causadas principalmente pelas repetidas contrações do rosto, ainda que seja em um sorriso ou no franzir da testa. Estes são mais fáceis de evitar, bastando apenas observar suas atitudes e evita-las. O mais difícil é conter estas ações que prejudicam nossa beleza quando estamos dormindo e não temos um bom domínio do nosso corpo. Por isso a importância de saber exatamente como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto.

A maneira de dormir que pode prejudicar mais a nossa beleza com o aparecimento das rugas é com a barriga para baixo, pois o nosso rosto fica pressionado contra o travesseiro, o que leva à formação destas linhas de expressão. É comum que estas pessoas acordem com marcas do travesseiro no rosto, o que demonstra que ele foi realmente amassado durante sono. Esta é sem dúvidas uma das maiores provas de como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto.

Outra forma de dormir que prejudica muito é de lado, o que pode ser percebido também quando se acorda, pois a pele do outro lado estará menos amassada que do que aquela que ficou no travesseiro. Esta maneira de como a posição de dormir pode acabar deixando marcas de expressão no rosto é comprovada pelo aumento rápido das linhas de expressão em todo o rosto.

Especialistas afirmam que a melhor maneira de dormir evitando as marcas de expressão no rosto é com a barriga virada para cima, como forma de manter o rosto sem contato com o travesseiro.