Como evitar salmonelose? – Portal Amazônia

 

A doença é causada por leites, carnes ou frutos do mar infectados com a bactéria. Evitar a infecção requer cuidados

MANAUS – Não são apenas os ovos que podem ocasionar a temida salmonelose. Leites, carnes ou frutos do mar podem conter salmonella, uma bactéria que provoca febre, náusea e diarreia. De 2007 a 2014, foram notificados pelo Ministério da Saúde 450 surtos de doenças causadas pela bactéria. A maionese caseira é um dos principais alimentos que recebeu a ‘culpa’ pela transmissão da doença, segundo o químico no CQLab, em Manaus, Fernando Tirolli.

Tirolli comenta que é preciso ter cuidados com o manuseio dos alimentos, principalmente com os ovos e carnes. “O sistema ovopositor das aves envolve tanto o aparelho digestivo quanto o reprodutor. Ou seja, pelo mesmo local saem as fezes, a urina e os ovos. No ninho onde está o ovo, está cheio de salmonela, que veio desse sistema da ave. Se os predadores comerem aquele ovo daquele jeito, no caso das pessoas vai dar um desarranjo intestinal muito forte”, explicou o químico ao Portal Amazônia.

Uma curiosidade apontada por Tirolli é que indígenas evitam consumir os ovos. “Pelo menos a gente sabe que os não aculturados não comem ovos porque dentro das lendas os ovos são seres que virão a ser. Na verdade o castigo é justamente a salmonela”, comentou.

Um exemplo de proporção negativa dado pelo químico é a alimentação em empresas de grande porte, como as do Distrito Industrial de Manaus. “Digamos que em uma fábrica pelo menos 100 funcionários almoçam lá e por algum motivo não foram feitas as boas práticas de higienização do alimento que, com salmonella, ocasionam um problema. Toda aquela linha de produção vai parar no ambulatório. Então pelo lado humano, é preciso pensar na saúde das pessoas, e pelo aspecto econômico, em como elas precisam de um bom ambiente para trabalhar e, claro, lucrar”, afirmou.

Tirolli destaca que a doença ganhou ‘fama’ por conta do mal uso dos alimentos na preparação, principalmente, da maionese caseira. “A maionese é um creme feito com ovos. Bate no liquidificador e acidifica, com limão ou vinagre, e acrescenta o óleo, para transformar naquele creme, que a gente mistura com verduras e outras coisas. Hoje é proibido fazer a maionese em casa porque os ovos que a gente compra, se não forem bem higienizados, pode acabar afetando esse creme e ocasionar o desarranjo e outros problemas”, explica.

Mas lembra: “Ainda assim, é perfeitamente controlável. É uma bactéria que um antibiótico, uma fervura, uma fritura, matam ela”.

Controle preventivo

De acordo com o diretor do CQLab, existe um programa de boas práticas de fabricação, com uma série de práticas ligadas à cozinha que, se forem seguidas, a probabilidade de contaminação é muito menor. “Por exemplo, se os manipuladores dos alimentos lavam as mãos, higienizam as saladas, se sabem a procedência daquele alimento. São muitos detalhes que vão levar o produto a estar livre de contaminação”, assegura.

O CQLab realiza análises para identificar os riscos de cozinhas industriais, por exemplo, com contaminações. “Para auditar, as cozinhas separam amostras do que é servido no dia e uma vez por mês mandam para o laboratório ou vamos lá e coletamos. Nós pegamos amostras de tudo, algumas facas, algumas tábuas, a água da torneira, passamos produto nas mãos de alguns manipuladores para fazer a cultura de como está a higienização”, informa o químico.

Depois de realizarem as análises laboratoriais – por meio de duas metodologias: em 96 horas da forma tradicional ou em 24 horas por meio do MiniVidas – é possível identificar a procedência do problema. “As medidas corretivas são urgentes, por isso investimos em tecnologia de ponta”, assegura.

As visitas são em datas esporádicas, logo, a prevenção é maior. “Começam a cuidar mais das boas práticas, porque nunca sabem quando vamos. Chega um momento que não encontramos mais nada. Ainda assim, é preciso ter uma eterna vigilância, porque uma coisa é você cozinhar em casa para três, quatro pessoas, outra coisa é fornecer alimentação para três mil e quinhentas pessoas”, adverte.

Sobre o CQLab

O CQLab é um laboratório de referência, que possui equipe composta por doutores, mestres e especialistas com larga experiência no controle de qualidade em águas, ar climatizado, alimentos, cosméticos e saneantes. A empresa também realiza implantações do sistema de gestão da qualidade como: Boas Práticas de Fabricação (BPF); Análise dos Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC); Plano de Gerenciamento de Resíduos da Saúde (PGRSS) e Controle Estatístico de Processos (CEP).

O laboratório está localizado na Avenida Rodrigo Otávio, n°1866, no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), no bairro Crespo. Para mais informações: (92) 3216 3878 ou cqlab@cqlab.com.br.

Fonte: Como evitar salmonelose? – Portal Amazônia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s