Descubra a importância de fazer os exames da retina uma vez por ano | Cotidiano | Acritica.com | Amazônia – Amazonas – Manaus

Pelo menos uma vez por ano todo mundo deveria examinar a retina; no caso de pacientes idosos ou com doenças crônicas como hipertensão e diabetes, a  frequencia desses exames deve ser ainda maior, a depender de cada caso. A afirmação é do oftalmologista especialista em retina e vítreo, Dr. Thiago Russo, que alerta para a importância de diagnosticar e tratar qualquer tipo de alteração nessa região do olho, pois pode indicar risco de perda parcial ou total da visão.

“É muito importante fazer anualmente os exames de retina, entre eles os dois principais são o mapeamento da retina e fundo de olho, feitos no consultório com a dilatação prévia da pupila. Recomendo aos pacientes que geralmente vêm para consulta anual verificar o grau das lentes, fazerem esses exames. Idosos ou pessoas com doenças crônicas que afetam a vascularização dessa área, devem redobrar os cuidados e aumentar a periodicidade do acompanhamento feito em parceria com o médico endocrinologista”, indica.

A retina é a parte do olho onde estão as células que têm como função transmitir para o cérebro os estímulos luminosos para serem transformados em estímulos visuais. Os exames avaliam, principalmente, a região da retina chamada mácula – uma mancha circular escura – na zona central, onde há concentração dessas células.

Principais doenças

Entre as principais doenças, o especialista destaca o descolamento como uma das mais graves e que pode acontecer com qualquer pessoa,  porém as com alta miopia e esportistas como lutadores são mais suscetíveis.

“O descolamento pode se dar espontaneamente ou por meio de algum trauma como pancadas e quedas. Acontece quando o gel da retina se liquefaz. É preciso estar atento a sinais como flashes de luz, moscas volantes, cortina que encobre e causa perda do campo da visão e, ao menor deles, procurar o oftalmologista. O tratamento é a vitrectomia, cirugia que hoje está bem mais avançada e é feita mediante sedação, com pequenas incisões e não levam ponto”.

A rapidez no diagnóstico e tratamento é fundamental para evitar a perda da visão. “Se o deslocamento chegar até a mácula, o prognóstico fica um pouco comprometido. Se não chegou e o paciente percebe, a cirurgia atua bem e não tem perda”, reforça.

Já a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é outra doença da retina que é considerada a principal causa de cegueira em pessoas idosas. Ela é hereditária e acomete principalmente quem tem acima de 60 anos, pele branca, olhos claros e/ou tabagistas. É caracterizada por druzas (manchas) que vão causando gradativamente a perda da visão. “O tratamento é feito com injeções intravítreo e antioxidantes que ajudam a estabilizar a doença”.

Outro problema que merece atenção com a saúde ocular é o diabetes. Segundo Russo, a retinopatia diabética é uma das principais complicações relacionadas à doença e a principal causa de cegueira em pessoas com idade entre 20 e 74 anos. Ela é caracterizada por microaneurismas (pontinhos de sangramento) na retina que podem até mesmo causar a perda total da visão. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), 90% dos portadores do tipo 1 e 60% daqueles do tipo 2 apresentam algum grau de retinopatia.

“É muito importante que esse tratamento seja feito em conjunto com o endocrinologista. A partir do momento em que a pessoa é diagnosticada com a doença e inicia o tratamento para o controle, deve fazer os exames de mapeamento para documentar a situação da retina e acompanhar periodicamente de maneira a prevenir e tratar possíveis problemas”.

Tecnologia em favor da visão

O Dr. Thiago Russo ressalta que hoje cada vez mais a tecnologia está presente na oftalmologia, seja como aliada ao diagnóstico de doenças ou no tratamento das mesmas.
“É uma das áreas que mais evoluiu tecnologicamente.

Hoje temos as cirurgias refratárias  para a correção de miopia, hipermetropia e astigmatismo, com lasers de última geração. Um dos exames mais modernos para avaliação das diversas doenças retinianas é a Tomografia de Coerência Óptica (OCT), que permite o estudo detalhado de todas as camadas da retina sem o uso de contraste.

Por meio dele, é possível detectar edemas causados pela retinopatia diabética, oclusões vasculares causados por doenças degenerativas entre outras complicações. Temos também o ultrassom ocular para avaliar as estruturas e o descolamento de retina. Ou seja, a oftalmologia e a tecnologia são inseparáveis”.

Thiago Russo

Formado em  Medicina pela Universidade Federal do Amazonas; Fez residência em Oftalmologia pela Beneficência Portuguesa de São Paulo;
Especialização em Retina e Vítreo Clínica-Cirúrgica pelo Hospital do Servidor Público de São Paulo;
Especialização em Catarata pelo Hospital CEMA de São Paulo  e em Oftalmogia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Serviço

O quê: Oftalmologia e Exames da retina

Onde: Centro de Diagnóstico Oftalmológico da Amazônia (CEDOA) – Rua Rio Mar, 474, Vieiralves

Info: 3212-6002/6003

 

Fonte: Descubra a importância de fazer os exames da retina uma vez por ano | Cotidiano | Acritica.com | Amazônia – Amazonas – Manaus

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s