Você sabe o que um bom abraço pode fazer pela nossa saúde? Pode mexer com os hormônios, com a pele e até com a nossa inteligência. O colo da mãe ajuda a desenvolver o sistema nervoso do bebê, por exemplo. O Bem Estar desta sexta-feira (8) falou sobre a importância do carinho. Participaram do programa o consultor e ginecologista José Bento e o pediatra Fernando Nóbrega.

 

CURTA O BEM ESTAR
Siga o programa nas redes sociais

De acordo com o doutor José Bento, o toque acalma, tranquiliza e promove o bem estar. Quando somos abraçados, substâncias como ocitocinas e endorfinas são liberadas no nosso organismo.

A ocitocina pode ser considerada o hormônio do amor, do aconchego e do carinho. Ela é liberada pela hipófise. Já a endorfina é um neurotransmissor do bem estar, produzido pelo cérebro. Na amamentação, essa troca de carinho é muito importante tanto para a mãe quanto para o bebê.

Mãe rara
O programa desta sexta também mostrou uma história de amor. A Shirley escreveu para o Bem Estar e contou a história dela. Na gravidez, ela descobriu que o filho nasceria com uma doença grave. O Gabriel nasceu com a síndrome de patau. Ela é causada por uma anomalia no cromossomo 13. Em vez de dois cromossomos 13, Gabriel tem três. Isso afeta várias funções do corpo.

As chances dele sobreviver eram mínimas, mas os pais decidiram levar a vida do filho adiante. A criança precisa de muito cuidado. A musculatura é diferente – as penas são firmes, mas ele não tem força para sustentar a coluna. Os pais contam que ele já evoluiu bastante nesses dois anos e meio.

Gabriel se alimenta por uma sonda gástrica e tem uma abertura na traqueia para facilitar a respiração. Cada dia é uma vitória e os pais fazem festa sempre que o menino completa mais um mês de vida.

Para cuidar do filho, Shirley largou o emprego. O dinheiro para ajudar nas despesas vem de lembranças para festas impressas em casa. Para Shirley, dia das mães é todo dia. Sempre é tempo de celebrar o amor e lutar pela saúde do filho.

tópicos:

Anúncios