Clínica Alamedas

Info Abril – Agência EFE

 thumb-090534-maconha-resized

(imagem reprodução)

A Câmara Nacional de Comércio e Serviços do Uruguai (CNCS) rotulou nesta terça-feira de “barbaridade” o decreto regulamentar da lei que regula a produção e a aquisição de cannabis no país, em referência ao que o texto estabelece sobre o consumo da droga no ambiente de trabalho.

“O decreto contém uma série de barbaridades, como não punir um empregado que trabalha sob os efeitos da maconha”, declarou à Agência Efe o gerente da Câmara, Claudio Piacenza.

A lei sobre a maconha, aprovada no fim de 2013 e regulamentada este mês, proíbe “fumar, manter acesos, consumir ou ingerir produtos de cannabis durante a jornada de trabalho”, e também não permite que um empregado “que tenha suas capacidades afetadas pelo consumo prévio de cannabis” trabalhe.

A norma autoriza empregadores a exigirem “controles aleatórios em caráter preventivo” para detectar a presença…

Ver o post original 933 mais palavras