Ketchup, piza, massas com molho de tomate são vulgarmente associados a uma alimentação menos saudável. Mas podem futuramente beneficiar da mudança genética do tomate para ter propriedades anticancerígenas, anti-inflamatórias ou mesmo de prevenção nas doenças cardiovasculares, avança o Diário de Notícias.
Tomates roxos, geneticamente modificados no Reino Unido e produzidos no Canadá, estão a ser usados para produzir sumo e, espera-se, levarão a testes sobre os efeitos positivos nos humanos.

Os frutos transgénicos, de cor modificada, foram desenvolvidos pelo John Innes Centre em Norwich, resultando da transferência de um gene da planta boca-de-leão (Antirrhinum majus), que dá início a um processo de modificação no tomate. Nessa altura, passa a produzir antocianinas, compostos que dão a cor a plantas, mas também a frutos como os mirtilos ou amoras, e que têm efeitos antioxidantes, protegendo as células.

 

Fonte: Diário de Notícias
http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=3652759

POP – portal de oncologia português – Noticias.

Anúncios