Internação compulsória, higienismo e eutanásia

Clínica Alamedas

Correio Braziliense – Opinião

Imagem

ANALICE GIGLIOTTI, Psiquiatra chefe do setor de Dependências da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e diretora do Espaço Clif
O último Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad) mostrou um número preocupante: 2,6 milhões de brasileiros são usuários de crack ou cocaína e metade deles é dependente dessas substâncias. A mesma pesquisa, divulgada em setembro do ano passado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), apontou que 46% dos que consomem a droga são provenientes da Região Sudeste. Apesar da falta de dados oficiais da quantidade em cada estado, sabe-se que Rio de Janeiro e São Paulo têm a maior concentração de casos da região, especialmente em suas capitais. Não por acaso, foram nesses locais as primeiras manifestações do poder público em prol da internação compulsória, ou seja, sem o consentimento do paciente, como forma de solucionar um antigo problema.

Apenas nos oito…

Ver o post original 546 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s